VERDADES REVELADAS: “Kit escolar de alimentação” de Palmeirândia foi um “prato cheio” pra Família Garcia e Secretaria Municipal de Educação

COMPARTILHE !!!

Fomos a fundo mais uma vez pra esmiuçar mais uma tramoia do Governo dos Garcia em Palmeirândia !

Trata-se de várias ações “suspeitas”, só pra dar um adjetivo simpático, cometidas de várias formas !

Mas aqui vamos focar em detalhar tudo sobre o famoso “Kit de Alimentação Escolar da Rede Básica Municipal”

Pois bem, pra começar queremos destacar o fato da empresa “licitada” pra distribuição de toda a merenda escolar do Município de Palmeirândia, não ser de Palmeirândia. Ou seja, não há incentivo à economia local, não valorizam a nossa rede comerciária !

A Empresa atende pelo nome fantasia de Supermercado Bom Preço, está alocada no povoado Três Marias, pertencente ao Município de Peri Mirim.

CADASTRO DA EMPRESA
Espelho do Contrato entre Secretaria Municipal de Educação de Palmeirândia e o Supermercado Bom Preço

Como podem ver o contrato entre a Secretaria Municipal de Educação de Palmeirândia e a empresa Supermercado Bom Preço está vigente.

Imagem retirada do Diário Oficial

O valor é de 814.408, 75 (Oitocentos e quatorze mil, quatrocentos e oito e setenta e cinco centavos), esse é o valor total do ano de 2020. Parece pouco né, mas vamos expor aqui a disposição dos alimentos, o preço de cada um pra vocês tirarem as suas conclusões !

Contrato-da-Merenda-Esolar-de-Palmeirândia-1

Documento assinado pela Secretária de Educação, Bianka Maria Pereira Pinheiro e o emprésario da Comercial BP Eireli (Razão social do Supermercado Bom Preco), Dimisley Costa Moreira , além das testemunhas Ana Selma Caldas e Patrícia Almeida Coelho.

Por causa dessa vigência, esses tais kits de alimentação escolar teriam que ser obrigatoriamente comprados nesta empresa . Pois bem, vamos aos detalhes.

Vários pais fizeram questão de divulgar os alimentos que receberam na singela sacola que era entregue pelos gestores das Escolas que seus filhos estudavam. Houve uma variação na lista dos alimentos, uns com menos açúcar, outros com menos macarrão, uns com alho e extrato de tomate, outros sem, enfim ….

Na média, a disposição dos alimentos foi :

  • 2 kg de arroz
  • 2 kg de açúcar
  • 1 pacote de macarrão
  • 1 pacote de leite
  • 1 tablete de biscoito
  • 1 pacote de flocão de milho
  • 1 pacote de extrato de tomate

De acordo com os preços expostos na tabela do Contrato entre as partes (3 parágrafos acima), cada “kit alimentar” custou a Secretaria de Educação a singela quantia de 22,39 R$

Dito isso, devemos considerar que a rede pública municipal de ensino básico conta com 4.050 (Quatro mil e cinquenta) alunos

O valor destinado pelo Governo Federal pro Município de Palmeirândia foi de 238. 413,60 (Duzentos e trinta e oito mil, quatrocentos e treze reais e sessenta centavos)

Então vamos as contas :

238.413,60 R$ que foi o repasse do Governo dividido por 4.050 alunos, é igual a 58,86 R$

Perceba que os kits escolares de Palmeirândia deveriam custar 58,86 R$, mas custaram apenas em média 22,39 R$, com 4050 alunos no município o valor investido nos kits fora de R$ 90.679,5‬0. Ainda sobraram dos R$ 238.413,60 a quantia de 147.734,1‬ R$.

Então o total de 147.734,1‬ R$ que dão 62% do dinheiro não foi utilizado.

Pra onde foram 147.734,1‬ R$ ?

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.